sábado, 22 de dezembro de 2012

Minha pequena Laura


Minha irmã, mais uma vez é Natal, e junto com ele vem o seu aniversario.Que eu me lembre sempre fiz questão de comemorar este dia com você e te deixar mais feliz.Para muitas pessoas o natal é motivo de tristezas, e pra mim é diferente pois é o seu aniversario.Em todos esses anos desde a metade deles eu fico pensando em oque fazer para te ver feliz nesse dia.Esse ano infelizmente não estaremos juntas mas quero que você saiba que em todo o momento desde o a hora que eu levanto ate a hora que durmo penso em você.No dia 24 será igual.Acordarei pensado em você e ficarei imaginando o que você estará fazendo neste momento.Vou me arrumar, organizar a casa, colocar uma roupa de festa e preparar a ceia.Daquele jeito que você conhece, como o pai sempre fazia.Com aquelas melancias, uvas, abacaxis decorados e tudo mais.Certamente não farei isso tudo com a mesma alegria que tenho feito todos esses anos, pois não vou poder te fazer a surpresa que gostaria muito de fazer.O mano vai ficar com a família do noiva e não que eu não ame ele, como a carta que você me escreveu quando era pequena.“mana, quero que tu saibas que te amo, se não tivesse o mano eu te amaria mais, mas como tem ele eu amo voces dois porque vocês dois são meus irmãos”.Não que eu não ame ele tanto quanto amo você, mas para mim essa data sempre foi muito mais especial por você.Quando chegar perto da meia noite eu vou lembrar da tua cara de decepção por estar quase chegando no dia 25 e não ter ganhado presente.E então eu entro com um bolo na mão cantando parabéns e tu sorri e chora ao mesmo tempo de alegria.Quando chegar a meia noite, algo ainda vai estar faltando, ou derrepente tudo estará faltando.Eu vou tentar fazer de conta que tudo estará bem e que certamente você estará faliz ao lado da mãe e que logo a gente passa outro natal junto.Mas tenha a certeza que eu estou muito, muito triste por não poder estar com você neste dia.De tudo que eu amo, o meu amor por ti vem antes de todas coisas.Porque por você, muitas vezes eu tive forças.Por ter você pra ensinar, pra dar exemplos, pra ajudar eu tive que me tornar uma pessoa melhor.Bem melhor.Daí vai ter a entrega de presentes, e não vou poder ver você recebendo meu presente, vai ter o show do Roberto Carlos e não vou ter vontade  nenhuma de ouvir ele cantando “ Lady Laura”.Ele cantava na hora em que você nasceu por isso que colocaram esse teu nome.Eu fico pensando e chego a conclusão que não existe no mundo um amor maior do que o nosso.Por vezes fico triste por que você não me procura o tanto que eu gostaria mas no final das contas acabei me acostumando e isso se chama amor incondicional.Eu fico lembrando de ti, pequeninha ensaiando “oh happy Day” pra cantar na escola, eu te arrumando, arrumando teu cabelo, te levando pra escolinha de bicicleta todos os dias...Sei que não sou, por assim dizer, a melhor Irma do mundo. Que sou chata (muitas vezes insuportável) e beirando à loucura. Entretanto, sou sua irmã para o que der e vier. Quero, mais do que ninguém, que você seja muito feliz. Use o meu ombro também. Confie em minha amizade da mesma forma que confio na sua. Espero que enxergue a mulher linda que você é, e perceba a infinidade de qualidades que possui e que poucas pessoas têm o privilégio de ter. Gostaria, do fundo da minha alma, que você enxergasse isso com o seu coração, com a sua alma e com esses seus olhos lindos.Tenho orgulho de ser sua irmã e me sinto honrada por Deus ter te confiado à nossa família. 


terça-feira, 5 de junho de 2012

Essa mania...

E essa sua mania e me surpreender quando eu menos espero? E essa sua mania de me decepcionar quando eu estou esperando que você me dê o mundo inteiro? Talvez a mania seja minha mesmo de te querer tão perto e tão longe. De querer que você leia os meus pensamentos e decifre cada pedacinho de mim. Mas talvez, mais que tudo isso, a minha mania é sempre querer gostar de você sem precisar esperar nada em troca...

sábado, 2 de junho de 2012

ah, o amor!

Ouvi dizer que quando você é completamente dona da sua personalidade, ninguém jamais será capaz de usar ela contra você. Fiquei pensando que fazia sentido e que são justamente as pessoas que têm a capacidade de moldar mais e mais perfeitamente quem elas são, que conseguem no final, viver a vida sem passar pelo problema mais difícil – muito mais difícil do que ser julgado ou atacado por alguém – quem tem o dom, o tom e o movimento certeiro de se descobrir, se aceitar, se entender, se respeitar e se amar acima de tudo e de todas as coisas, jamais terá que ser questionado por si mesmo. Porque quando eu sou quem eu sou, e eu sei do que eu sou feito, ninguém tem o poder de me domar, me dominar; a minha guia vai ser a que eu quiser, ao vento que eu escolher.


 Certo? Certo. 


 Mas aí continuei pensando. Ouvi outras conversas, percebi quantas verdades cabem dentro de uma mesma história. Se sou eu quem escuta, sou eu quem crio em cima do que já foi criado. E se pontos de vista existem, a minha personalidade não depende da de ninguém, mas cada pessoa vai continuar pensando o que quiser de mim. E pouco importa no fundo porque quem continua vivendo na minha pele sou eu, gostem os outros ou não.


 Certo? Certo. 


 Uma vez ouvi dizer que fulano não entendia como cicrano tinha o poder de odiar e amar sua mulher, tudo junto, de uma vez, tão sem fim na decisão se ela era ou não a pessoa que ele deveria permanecer junto, pra sempre. Fiquei ali pensando… “pra sempre é tanto tempo”. Nosso medo tão inseguro de não conseguirmos mais caminhar em dois pés porque num determinado momento nos acostumamos a andar em pares, dormir em pares, comer em pares. 


Nossos pés continuam sendo só dois, mas a gente se acostuma a andar feito cachorro, de quatro, seguindo o ritmo do dono, muitas vezes sufocados pela coleira sem saber se a sensação é de segurança ou de pavor. Mas viver junto é o certo, certo? Certo. Porque amor é tudo o que todo mundo procura. Amor tem a função impossível de preencher os buracos que já nasceram vazios, amor tem a obrigação de curar traumas de infância, de ser mais importante do que as realizações pessoais, do que o nosso egoísmo que poderia nos alavancar pra frente, amor tem o desejo quase burro, quase louco de tapar com outras as nossas saídas respiratórias, porque amor enche tudo, amor cobre tudo, amor não te deixa respirar, nem andar em dois pés, nem ver a vida com os dois olhos que nasceram no seu rosto, num único par. E eu vejo naquela minha amiga casada há 10 anos e eu vejo na outra que procura alguém há outros 10. As pessoas vivem a vida toda nessa busca que não tem fim porque não tem começo, parece que nasce dentro da gente. Eu vejo em mim, vejo no meu marido, vejo no marido das outras e vejo nas outras que possivelmente gostariam de ter ou ser o meu marido.


E não sou eu que vou levantar a bandeira contra o amor. Justo eu que só sei falar disso, que vivo pra isso e disso, justo eu que atravessei o mundo mais do que uma vez, que aceitei não viver a minha vida do jeito que eu achava ser o melhor pra mim, justo eu que personifico aquilo que projeto simplesmente pra acariciar meu desejo de ser o amor, em pessoa. 


 Não vou maltratar o amor, porque o amor move tudo, o amor resolve tudo, o amor luta as lutas que eu não tenho coragem de lutar, o amor faz retratos tão bonitos e escreve poesias incríveis, o amor me dá material há anos para falar só dele, em tantas frases diferentes, sempre ele, como um mantra, e mesmo só me repetindo há anos, o amor faz parecer tudo novo, porque todo mundo continua na busca, no desespero, na corrida, na largada, no final do túnel, na outra metade da laranja, segurando a tampa de uma panela, do outro lado do telefone, o amor continua, o amor corre, corre, corre, o amor nunca chega, mas ele também nunca vai embora porque ele é onipresente e todo mundo deseja, almeja, reza tanto o amor o tempo todo. 


O amor é o Deus sem igreja, o amor tem diversos demônios em si, ciúme, traição, amor doença, amor dor. Ruim ou bom, longo ou curto, todo mundo precisa ou pensa que precisa de amor. E como o instinto é mais rápido que a razão, eu vou continuar entupindo minhas vias respiratórias de tudo o que tenha aquele cheiro, aquele gosto, aquela textura dele, do meu amor. Palavras são só palavras e a gente sabe que o amor existe, certo? Certo. Mas não tem cura.


Em homenagem aos meus quase 15 mil acessos, e um ano praticamente sem postar nada. Obrigada, espalhem!Curtam e compartilhem!
Quem acha que é, não é, quem é já não pensa nisso. Não te confie tanto, nem em si mesmo, nem nos outros, não se pode ter certeza de nada. Não se sabendo, não seja outra coisa, o natural é sempre certo, só o feito pode dar errado. Não sendo, seja!
Não se preocupe por não sofrer das dores de “Romeu e Julieta”, o mundo é melhor para quem sabe se deleitar a sentir o vento. Você não precisa necessariamente viajar o mundo, encontrar o amor da sua vida, ser culto, saber quem foi Hegel, Salieri, Chatterton, ou sobre geopollítica mundial. Não busque sempre somente beijos perfeitos, pois a probabilidade de você se decepcionar a vida toda será muito alta. Beije quem te faz rir, quem te acalma, e antes que se de conta a perfeição virá naturalmente.
Não desperdice sua vida procurando coisas dentro das gavetas e pessoa ou dando pulinhos para são longuinho. Todo mundo tem o direito de poder não se preocupar e ser um pouco esquecido.


De um dos milhoes do mundo que ninguem sabe 

domingo, 13 de novembro de 2011

vamo testa as tecnologia Torpedo Multimídia enviado por um cliente Brasil Telecom.

Caso não consiga vizualizar os anexos, utilize o programa http://www.apple.com/quicktime/download

Conheça os serviços e vantagens da Brasil Telecom GSM no site http://www.brasiltelecom.com.br.

domingo, 21 de agosto de 2011

Sobre mim -




Eu sou toda errada. Mas meus pais e meus irmãos são perfeitos. Sabe aqueles que todo mundo diz pra você que queria ter? São os meus. Bonitos, inteligentes, modernos, carinhosos... se eu cobrasse aluguel, tava rica. O telefone deles toca muito mais que o meu...


Bonita, eu? No máximo em algumas fotos em que eu dei sorte. Mas meus irmãos são lindos. Por dentro e por fora. Tanto que tem até gente que imita, copia foto, apelido, roupas e jeito de falar. Não duvido que muita gente queira estar no meu lugar.


Eu não sou especial. Mas o homem da minha vida é.
Como tudo que me faz feliz, se a definição de superlativo tivesse uma foto, seria a dele. Carinhoso, inteligente, divertido, liiiiindo! A melhor parte da minha vida, o dono de cada batida do meu coração. Apesar de não ter nada demais, tenho muita sorte. Não é qualquer uma que tem um marido que pode chamar de perfeito. Em todos os detalhes.


Eu sou esquisita. Uma pessoa que não faz questão de colecionar amigos. Mas os 8 ou 9 que eu tenho são o máximo. Gente que conversa sem restrições, que diz o que pensa sem medo de estragar tudo, que ri, que fala sério, que fica meses longe e quando encontra parece que foi ontem. Gente que sabe que amizade é muito mais que exigir.


Eu gosto de escrever também, e tem muita gente que gosta, muita gente que lê, e eu confesso que escrevia melhor quando era solteira, dor de cotovelo da ibope e todo mundo gosta.
Mas eu ainda escrevo bem, tenho material para tres livros no mínimo e devo escrever uns 50 até o final da vida.
Tudo que eu tenho é incrível. Uma pena que eu não seja tão espetacular quanto o que me cerca. Que eu não seja incrivelmente inteligente, que não goste de me aparecer usando vocábulos abstrusos. Que eu não seja tão linda quanto essas pessoas que podem usar roupinhas exibidas. Que eu não seja tão diferente a ponto de chamar a atenção no meio de uma multidão. Que eu não choque as pessoas com o meu comportamento, com o meu visual ou com as minhas palavras de pós-adulta rebelde. Que eu não seja despreocupada o suficiente pra viver com cara de boba alegre. Que eu não seja irresponsável o suficiente pra ser divertida como as outras pessoas. Que eu não seja inconseqüente pra chamar a atenção...


Então enquanto eu não me tornar uma pessoa tão interessante quanto as outras, melhor nem falar tanto sobre mim...




Sobre mim Facebook

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Aos meus amigos....

Pode acreditar, eu amo meus amigos com todas as forças
Torço por cada um deles, mentalizo coisas positivas, gosto dos encontros dos abraços e perco o fôlego só de pensar em uma vida sem eles.
Mas eu preciso estar sozinha as vezes. A vida é assim as vezes, cada caminho uma direção...
Casa, trabalho, família, marido e tanta, tanta coisa pra resolver, 

E não é de vez em quando, é quase sempre.

Meu sozinha não quer dizer sem pessoas, por mais estranho que pareça
É só uma vontade que tenho de decidir as coisas por mim
De não precisar pensar em grupo
Um egoísmo do mundo que me faz querer fazer o que eu estiver afim.

E aí que as vezes eu fico distante. Quando eu era solteira, tinha vezes que ficava quatro dias sem sair do quarto, sem falar com ninguém.
Mas explicar é difícil. Eu não sei nem tenho o costume de me explicar.


Porque não consigo dizer que não por medo de chatear
E também não quero dizer sim se não.

E o não nada tem a ver com gostar menos dos amigos.
Mas nem sempre eles entendem.

Assim fui conquistando ao longo da vida uns amigos como eu.
Daqueles que não se preocupam com quantos dias fazem que a gente não se vê,
Porque importante mesmo é aproveitar aquela hora
E não bater ponto pra medir amizade.

E também fui perdendo pelo caminho uns amigos que chateei,
Porque não liguei de volta, não fui à festa, e esqueci do aniversário.

Eu admiro os amigos que se comprometem a dar satisfação todos os dias,
Falam pelo telefone,
Se encontram dia sim dia não,
Reclamam que o outro foi à padaria sem avisar.
Mas eu estou longe de ser uma amiga responsável.

Sou só amiga.
Um feliz dia do amigo, a todos os que amam, me entendem e aceitam me assimzinha como eu sou, amiga.



E os verdadeiros sabem , que se realmente precisarem mesmo de mim, é so chamar que eu estarei lá em dez minutos. Beijo







segunda-feira, 30 de maio de 2011

"O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"



O anjo mais velho - O Teatro Mágico

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Eu  também acho no mínimo estranho uma moça de 29 anos escutando Toquinho e Cartola com a intimidade de quem escuta " Quem quer pão? Pão, pão,pão...."
Eu cresci diferente, minhas brincadeiras eram diferentes, minhas musicas e meus amigos eram diferentes. Resumo da história, continuo diferente, para não falar estranha que soaria pejorativo ou sarcástico.
No entanto não uso desses argumentos para me classificar como melhor ou pior, diferente cada um classifica como quiser e agora ouvindo as músicas que gosto lembro que meu pai falou uma vez que eu já nasci velha, e tampouco pensem que a finalidade era me desmerecer com aquela frase, e na verdade nem sei o que fez ele chegar  a essa conclusão, se eram pelas músicas que eu gostava de ouvir, ou do modo como eu me vestia, ou das pausas e pontuações corretas cuidadosamente usadas em tudo que eu lia e falava ou do meu mau humor.
Mas já fui bem pior e bem melhor.
Já falei mais corretamente, e já fui tão azeda o quanto vocês não podem imaginar.
Não é mentira que a tristeza faz render, uma dor de amor por exemplo.
Pra bom entendedor meia palavra basta e eu não tenho nada pra me queixar nesse momento, não tenho nenhuma dor, nenhuma briga e nada tão latente que me renderiam parágrafos e parágrafos nesse blog como já o fiz.
Os músicos rejeitados foram os que fizeram as melhores musicas que existem. Os romances mais dramáticos tem mais impacto e vou ficar devendo essa pra vocês.
Aos meus inimigos tenho que pedir desculpa mais uma vez, e não será dessa que lhes darei o presente de sorrir com uma flechada errada do cupido.
Então uma canção do Cartola rendeu umas linhas, infelizmente não o bastante pra correrem e enviarem mensagens, email ou comentários anônimos, mas, estamos aí , pro que der e vier!

domingo, 20 de março de 2011

Alice, por favor me escreva, aquela carta de amor...

Hoje tomei iniciativa, de falar com voce.De dizer que eu estou com saudade, que to com pressa do teu carinho, estou apressada pra falar que eu  errei, mas que te amo, que voce é o meu amorzinho, o tijolinho, dizer, não esqueça Alice, aquela carta de amor...Não estou aqui pra me justificar nem lembrar do que nos afastou por esses longos tres meses, demasiadamente demorados e desgastantes sem a tua presença.Que sinto sua falta, que lembro das nossas madrugadas, de quando eu saia de onde eu estivesse pra ir te encontrar, de quando eu brigava porque tuas roupas nao ficavam legais em mim, e que sutia GG nunca vai ficar legal em mim, e eu sempre esquecia o sutia...Quando voce inventava festas e arranjava pares nada a ver comigo so pra que eu te acompanhasse na captura pelo teu (hoje) marido.
Queria te falar que eu tenho saudade das tuas comidas, que eu tenho saudades de te dar aqueles conselhos que voce nunca seguia muito bem , mas eu via em cada passo teu um pouquinho de mim...Queria te falar, que estou agora com os olhos cheios de lágrimas e vou ficar Puta da vida quando todo mundo ler isso aqui por que eu não falo mais da minha vida pessoal no blog .
Eu não te contei que estou na casa nova, que ganhamos a cama nova, que não fiz ainda o chá de panela, que não sei cozinhar muito bem como você mas que estou feliz aqui.Não te contei da minha primeira noite com meu noivo depois de casada, não te contei como fiquei furiosa a primeira vez que faltou gás e minha comida ficou crua.Não tive como te contar amiga, da nossa primeira briga com aliança na mão esquerda, nem como eu tenho pavor de limpar o banheiro, e ver a casa desorganizada.
Não te contei como me sinto sozinha quando ele não esta em casa, que eu estou completamente feliz e que eu espero que você tambem esteja assim.
Queria te contar, como fiquei triste quando uma amiga pisou na bola, e quando a outra foi viajar.Não te contei que aprendi fazer arroz bem gostoso, que aprendi fazer aquele pianoni que tu me escondeu a receita, e que eu queria te levar um só pra tu ver se ficou igual.
Esse texto não esta dentro das regras do portugues correto e que eu quero que se foda quem vem aqui ver se eu escrevo corretamente dentro dos padróes.
Eu queria saber se voce me procura no msn, se le minhas frases como eu leio as suas, se voce tem dormido bem, se continua com a mania de patricia de comprar só desodorante importado.Eu casei e fiquei fresca, não como mais fritura, só uso lençol novo e tenho asco de toalhas úmidas e usadas.Que as vezes vamos viajar so pra comprar shampoo hidratante e champagne.
Eu não te contei que achei que estava gravida e ja tinha ate escolhido o nome do bebe.Não te contei que to loca pra tomar um porre e dançar muito.Nós bebemos vinho quase todas as noites, ele toca violão, eu fico escrevendo ou lendo alguma coisa e interessante e tenho a mania de ver o jornal da noite deitada na cama.TO velha e cafona e não perco a novela das oito por nada, continuo louca por jornais, revistas, papeis velhos e todos tipos de brindes e amostras gratis de creme caro.Hoje te chamei, queria te falar, mas voce esta off line, off my life.
Sonhei com voce essa noite, te dei um beijo e um abraço apertado, voce recebeu?
Seja o que for, te amo, voce continua aqui, dentro de mim, todos os dias, como prometemos.Alice, por favor me escreva, aquela carta de amor.

Com carinho, da tua
irredutivel.

terça-feira, 1 de março de 2011

Alô, Alô Marciano...

Não, não tenho nenhuma tragédia cotidiana para compartilhar com voces amores, nenhuma dor de cotovelo aguda, nenhum fora, nenhum pé na bunda, nenhum.



Prometo que apartir de hoje voltarei escrever aqui, minhas amigas, amigos, inimigos, simpatizantes e afins tem sentido a minha falta e pasmem, recebi emails perguntando por que eu parei e por isso to aqui.


Não vou falar da falta de tempo, porque isso não existe, é uma mentira esfarrapada que os humanos inventaram pra maquiar a preguiça, ou qualquer outra coisa que seja .


Como diria Scliar:


Pessoas inteiramente felizes não escrevem. Escrever é algo que resulta de algum grau de mal-estar psicológico, de algum grau de neurose.


Pois é José, antes que eu perca o fio da meada, sempre admirei josé's não é mesmo?


Meu pai foi o que eu mais amei, e casei com um José gente!


Voces sabiam né, tá, eu sei, melaçao not.


E voces minhas amigas como estão?


Algumas casaram também, umas estão perdidamente apaixonadas e outras ainda continuam comendo na mão daquele filho da puta que não dá valor, to certa?


Mas seguinte pessoal, uma dica, curtam a vida, aproveitem , beijem na boca, dancem muito e continuem todos vivendo e respirando, respirando e vivendo e vivas !


Eu beijei muito, e beijo muuuito ainda, e vou contar pra vocês que não sinto muito a falta da minha vidinha de solteira nos camarotes das baladinhas com as sub celebridades.


Tem balada aqui em casa, ô se tem, mas, me contem como vão vocês?






Se eu to apaixonada?


Eu sou apaixonada! Apaixonada pela vida, por cada descoberta, por cada novidade...


Gosto do novo. Gosto de descobrir, me descobrir a cada instante, perceber que posso mais a cada dia, me surpreender com os mais diversos sentimentos! Sim eu sou apaixonada!






Sabe o problema de hoje em dia é que, por exemplo, a mulher olha pro homem e quer dar... E “DÁ”!!!!


O homem, por sua vez olha pra mulher e quer comer... ”E COME”!


Cara, cadê a graça disso?


E a conquista? E o detalhe? E a emoção?






Ah... Eu gosto de sentir, gosto de cada sensação, de cada permissão...






É mais ou menos assim:






Primeiro vem o olhar, a gente se olha e finge que não olha... Disfarça e tenta entender...


Depois a gente olha e deixa claro que olha... É curioso, quer desvendar...


Aí a gente ouve, escuta a voz, o tom, a intensidade... Gosta de ouvir.


Depois do olhar ao ouvido, quer sentir mais, o cheiro, chega mais perto pra sentir, rapidinho se afasta pra não abusar...


Espera a permissão pra tocar, devagar, sem pressa... Pele, pêlos, toque, arrepios...


Cada descoberta é tão boa, tão gostosa...


Tudo isso também me atrai.


Mas gente, mulheres, valorizem se!


Tudo que é de graça é podre ou ardido segundo a mãe de uma amiga minha...






E aí depois... Ahhh depois se joga, pode dar, pode comer, a questão é não pular etapas que são tão importantes, tão gostosas e que nos fazem sentir e desejar mais e mais! Esse negócio de ir direto ao ponto é bom, mas só de vez em quando!!

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Você

Das duas, uma. Ou você leu meu manual de instruções ou você tem uma bola de cristal em perfeita sintonia comigo. Só pode ser. Porque não é possível alguém ser assim. Alguém que me trata como uma princesa. Que faz todas as minhas vontades. Que despenca de tão longe pra me ver por tão pouco. Não é possível alguém ser tão tudo de bom e fazer tão do jeito que eu gosto. Não é possível uma sintonia tão fina. Uma perna tão grossa. Uma cabeça tão macia. Eu sabia que esse dia ia chegar. E chegou como um samba de carnaval. Me arrancou do chão. Aumentou minha pulsação. Me levou junto. Eu sabia que um dia eu ia fazer tudo certo. E agora eu entendo porque. Porque agora todas as peças se encaixam e não falta mais nada. Você fez a aposta. Eu perdi. Perdi noites de sono em baladas freqüentadas por garotas de saias e cabeças pequenas. Por playboys deslumbrados, com algum dinheiro e nenhum pedigree. Por corpos sarados e mentes doentes.Menos sarados e menos tarados que você. Festas com muita pose e pouca atitude. Com convites que custam caro e pessoas que se vendem por tão pouco. Me perdi e não encontrei ninguém. Torrei meu dinheiro e minha paciência. Estourei meu cartão de crédito e, por pouco, não estouro meus tímpanos. Mas, quer saber? Cansei de música alta. Prefiro quando você fala baixo no meu ouvido. Prefiro ficar vendo os aviões brancos dando rasantes sobre nossos corpos tintos. Prefiro você suave. Prefiro o silencio dos seus olhos me dizendo que me ama. Prefiro sua voz de madrugada. Prefiro quando você se perde nas notas. Prefiro sua música, seu tom. Por você, eu dei uma nova chance a mim mesma. Eu dei minha cara a tapa. Por você, eu voltei a acreditar no amor adolescente e a ter calafrios na espinha. Por você, comecei a ter ciúme. Por você, posso largar música agitada e aprender a gostar de jazz. Por você, eu largo os vinhos baratos, os xampus caros e as roupas curtas. Porque quando você está dentro, não existe mais nada lá fora. O mundo acaba aqui, na gente. Porque você me faz tão sua. Porque você me faz tão eu.
Por voce eu diria sim mais umas dez mil vezes

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Em determinado momento, dentro de um contexto, é óbvio, o amigo querido me disse:

- Posso concluir que deve ser uma loucura pra um cara casar com você.
- Como assim?
- Assim... tipo como se fosse um eterno passo em falso sabe? Como se a cada dia fosse um novo motivo pra ter aquele frio na barriga.
- Hum
- Eu posso concluir que estar com você deve ser como cair num abismo que o chão não chega nunca!


Isso foi um elogio. 
Não foi?

sábado, 27 de novembro de 2010

Do que não cabe em mim

Eu poderia ser sacana,pra não variar um pouco e fazer algum comentário infame sobre o título desse post...porém hoje eu não estou afim.Quem sabe amanhã eu volto aqui para falar alguma maldade sobre o que não cabe em mim..cof

Na verdade... eu caminho por aí ocupada demais com as coisas que eu preciso colocar em ordem (é eu sei...mais uma piada).Eu estou preocupada demais realmente para fazer a piada certa na hora errada.

Eu gostaria de saber exatamente o que eu tenho de interessante escrito para tirar proveito disso.Mas minhas idéias parecem tão desconexas ao menos diante dos meus olhos.Não sei o que eu quero dizer,portanto não sei o que procurar em mim,não sei o que escolher em meus textos e sequer sei se eles podem ser curiosos o suficiente para prender a atenção de alguém.
Eu me sinto voando... como uma folha.Mas não quero correr atrás dessa folha,hoje não estou com pressa como estive nos ultimos tempos.
Por outro lado,a ansiedade não me abandona junto com o vício de colocar acentuar as palavras que me interessam... eu deveria me preocupar mais com isso.Mas eu estou mesmo,preocupada com o que realmente importa em tudo o que esta escrito.
Quando eu digo que tenho diários,não é mentira.Mas eles são cadernos bonitinhos apenas que guardam pensamentos e textos muitas vezes,quase todas nada pessoais e bem fantasiosos.Não quero viver no mundo da fantasia mas ainda não tive a cara de pau necessária para escrever uma história real da minha vida.Aliás,nem acho que isso seja necessário.

Eu tenho material o suficiente para fazer o que eu quiser.. o problema é que nada é bom para mim.Então eis a questão.Tudo o que é demais,é forte,é profundo,definitivamente não cabe em mim ( essa ficou sacana)
Então tudo o que está escrito é muito mais forte do que uma breve conversa comigo em um fim de tarde ou uma madrugada qualquer.
Agora encarar a força daquelas palavras e separa-las sem sequer saber o que eu quero delas é uma tortura.Não sei se escrevo sobre mim,sobre as pessoas,sobre amor,sobre amizade.Sequer sei se meus textos aparentemente sobre amor foram apenas um momento de inpiração ou um sentimento verdadeiro... isso não inclui as coisas sobre.. deixa pra lá.

Minhas amigas nao acreditam muito que eu vá colocar as minhas idéias em ordem algum dia.
Minha mãe ainda tem esperança de que isso vá acontecer...

Mas acho que eu,particularmente,não acho necessidade em organizar a falta de organização.Talvez aquela mistura toda de sentimentos e intensidades assim,página por página de forma desconexa ao trocar a folha...pareça perfeita.

Mas ainda assim.
Eu não sei se cosigo lidar bem com a falta de conexão com a perfeição na desorganização.

Não.. não fiquei louca,ainda.
Não me sinto perdida,só um pouco confusa.

Alguém quer meus diários? hhahahaha




Continuo apaixonada pelo meu próprio namorado. Tem cabimento gente?
Ocorreu um erro neste gadget