terça-feira, 28 de outubro de 2008

Promíscuo


Entre panos e cores, você aparece de novo. Faz uma brincadeira, abraça aquele abraço que tira meus pés do chão. Eu caço só o rastrinhos dos olhos fechados. E quero roubar seus óculos para você nunca mais olhar ninguém desse jeito que você olha pra mim. E você aperta minha mão. Ah... esse coração sitiado, cheio de grades por todos os cantos. Afeto escorrendo pelos buraquinhos, escapados nas frestrinhas de luz. Como é possível se sentir tão segura perto de alguém tao inseguro? A gente não se aguenta ... será que você pode rir mais um pouquinho? Esse riso, virado pro mundo? É que você sorri prometendo tudo- embrulhado em ouro. Vamos subir em silêncio até o céu e pintá-lo de azul? I was born to love magic. Você, passageiro - usocapião :) de pensamentos perdidos. Pega aquela garrafa de agua ali, vai...
Quando você foi embora eu descobri que nada é definitivo. Quando eu fui embora eu estava com medo de ficar definitiva. Hoje eu só quero que dure até amanhã.

sábado, 18 de outubro de 2008

Paulinha


Já falei dela aqui,mas vi essa foto hoje e me inspirei.Eu sempre digo que tem uma amiga pra cada hora e ocasião. Tem umas que não adianta vc querer ir pra balada e outras não são boas de ouvir a gente chorar as pitangas. Mas essa aí é meu amor.Fomos apresentadas pela cazinha, ou melhor presenteadas.
Ela é minha leitora assidua sabiam?
A Paulinha e eu sem mais nem menos viramos amigas de verdade, e isso sem precisarmos nos vermos todos os dias digo "fisicamente", estamos juntas, ela conhece minha ´voz, sabe exatamente oque quero dizer quando troco niks no msn, le meus email s kilométricos e ta sempre on line pra mim!
Nada minha gente, nem textos elogiadíssimos, nem o abraço mais sincero, nem um MBA international surrond, se compara a certeza que nós temos que nos conhecemos de outras vidas,e nós duas temos uma dívida enorme com o Cah, a de ter feito nós nos reencontrado!
Podem vir muitos apelidos desses que eu adoro inventar e incluir no nosso vocabulário mas nós seremos Pampas enternas!
Essa minha amiga ela tem o coraçao enorme, ela é linda, cativante,é forte mesmo, opnião formada e contudo consegue ser doce.
Ela chora? igualzinho a gente
Solta uma gargalhada daquelas que eu escuto daqui mesmo ela estando la em camaqua as vezes, ela é nossa caipira sim, mas é cheia de pose, chiquéeeeeeeeeeeeerrima, moderníssima sempre cheia de novidades, roupas de dar inveja na gente né meninas?
Sorte de quem tem a Paulinha por perto, sorte de quem respeita e valoriza a Paulinha, sorte minha de estar aqui escrevendo agora e sabendo que ela vai amar e vai chorar porque ela ta meio tristoldazinha eu sei,e vai dizer, porque tu fez isso? pra me ver chorar?
Não, amiga, foi pra te lembrar que como nos nossos emails a gente fala, estou sempre do teu lado, mesmo que tu nao veja!
E eu tenho certeza que vamos ser amigas pra sempre, que teremos filhotinhos lindos, maridos maravilhosos e vamos beber muita champagne, amarula e pinga junto.
Pinga sim, sabe aquelas de buteco? Porque nao tem tempo, lugar, nem preço nem status nem nada que pague a alegria de saber que sempre tem alguem pensando: Onde sera que esta minha amiga agora?
E eu sou assim, superprotetora e sempre serei e voces podem ficar braba mas eu sou a mais velha e tenho direito sim de sempre meter o meu grande bedelho na vida de todas!
Ela é minha companheira de mio. Explico: é difícil achar, hoje em dia, manhosas de verdade. Digo, genuinamente manhosas, não do tipo "falseta", que fazem manha só para conseguir qualquer bobagem. É manha inerente, que tá no sangue.
Eu morro de saudades e divido, todos os dias, minhas coisas com ela em pensamento.
E a gente sabe uma da outra, e o melhor dessa amizade?
Nao precisa pronunciar, cumplicidade total mesmo!
Eu sei que ela agora ta tomando umas, contando causos, com um blush rosa na bochecha,pensando no que vai fazer...
Deve ta fumando um daqueles cigarrinhos caríssimos de menta, bebiscando uma vodkazinha e louca pra voltar pra casa se atirar na cama e afogar o choro no travisseiro.
Mas antes vai abrir o orkut porque eu conheço muito bem...
Então quero te dizer que enquanto tu ta aí kilometros de distancia da tua amiga aqui eu to sim pensando em ti,mandando boas vibraçoes e te dizendo que tu é o melhor presente de 2008 que tu pode me ligar demanha demadrugada dia de sol e de temporal, pq tu é minha mana, minha amiga, minha pra sempre patricinha enrolada em roupinhas de grife e unhas cuidadosamente pintadinhas!
Agora, deu né? Chega de drama, chega de internet, pode fumar o ultimo cigarrinho, escovar o a aparelho colocar o pijama e um perfuminho e conversar um pouquinho com o cara lá de cima! POrque amanha é outro dia, e vai fazer um sol de 30 graus e vai ser só alegria!
Te amo daqui até onde nao se pode ver, nem de lente de contato!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Acontece!!!!!!!!!!


... e aí que eu não ia beber muito, tava tomando remedio, queria fugir....
ia voltar cedo para casa porque era só uma reuniãozinha de meninas no pub.
Papo vai, papo vem, uma se empolga, a outra conta que pegou o ex no flagra ,a outra que esta indecisa, a outra que quer morrer de tanto arrependimento, uma outrinha com o namoro engrenando que nem moinho, aí desce mais uma gelada,uma cervejinha, uma champagne, e vem caipirinha, vai cachacinha. Uma chora as pitangas, a outra conta que está saindo com um cara, ou melhor, um menino 4 anos mais novo. Fala bem, fala mal - risadas estridentes. E maaaaaaais cerveja. Vai dando aquela animadinha (né amoras?), sabe? O musiquinha começa a ecoar na cabeça “ evebody is freee, o tom de voz cobeça a subir, as meninas se abraçam. Até que, uma- querida-papaanjo-ciumenta solta um: “vamos nos acabar hoje, meninas? vai ter música boa”. Ok, vcs sabem o que é um galinheiro? Agora imagina um galinheiro gracioso e levemente embriagado: isso era a nossa mesa na festa. Vai uma, duas, três... mil meninas patinando, rumo à tal da festa. Detalhe: besteiras que a gente fazia quando nem tínhamos carta de motorista - bebidinhas, beijinhos,ciuminhos, a ex do ex do ex, o maldito ex,"me serve uma coisa forte aih por favor?"uns tombinhos,a amorinha sentada no canto da festa, a outra com um vestido "é hoje Papai!", uminha beijando geral no maior estilo Madre tereza de calcuta, e ela pode, porque engana bonito se voces querem saber! um charminho, mas afinal, quem se importa com isso quando o mundo é cor-de-rosa e verde e tudo que se quer e "rastar o pé e beber pra esquecer " em uma pistinha? Animadinha vai, animadinha vem. Conhece um, dispensa o outro, baila um pouquinho, segura um pouquinho e... 4:30 alguém desmaia na cama com a cabeça latejando,eu tiro o sapato de uma, atendo a outra que e mandou com o Dom Juan e liga pergutando:voces estao bravas comigo? A outra F-U-R-A-O-L-H-O apertando o interfone e eu de pantufa lembrando que despensei o garoto propaganda e detalhe "mais desputado da festa" ufa! Lá no fundinho ainda dá pra ouvir:Posso ter bebido um pouco só pra relaxar, só pra relaxar???

E os meninos? Coitados,felizes como dia de grenal !
Amo amorinhas do meu cuore!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Meu Xodó


Ela gosta de praia como eu, vestido.de cores fortes. O samba é a trilha sonora de nossas vidas, "nada de coisas pesadas" porque nos rimos e choramos equilibradamente. As letras do samba são assim, como nosotras. Tem certos dias que o que rege é: "Tire seu sorriso do caminho, que eu quero passar com a minha dor". Tem outros que é bem assim: "Deixa a vida me levar, vida leva eu..." Uma lágrima, uma risada, gargalhada.

Ela mora na Quintino esquina com o restaurante que traz umadas minhas melhores lembranças, pertinho das minhas piores saudades.
Ela é meu xodó. Ainda não tem a palavra xodó no dicionário. Mas o que eu quero dizer é que ela mora na curvinha do meu coração.
Ela tem o pezinho pequeno mas bem pesado de chumbinho mesmo e as maos cravadas no volante.
Cada dia que passa eu acho um apelido novo para ela!
Foi ela que me apresentou para as pessoas mais especiais e ela tambem quearmou um encontro maravilhoso para mim sem mesmo saber...
Ela não é egoista, ela não é vulgar, ela não é mesquinha!
Sempre com as bolsas mais bonitas, grampinhos no cabelo e a melhor música no som do carro. Sabe usar ironia sem ser inconveniente. Sabe ser espirituosa sem ser engraçadinha. Ela tem o humor na medida certa. É de longe melhor anfitriã, tem as palavras perfeitas e sempre alguma estrela cadente escondida na manga.
Ela é a mais fiel e livre de julgamentos. É o meu xodó porque sabe de cada coisinha estranha que passa na minha cabeça. E aceita tudo isso com o maior amor.
Ela ri da minha cara, quase toda a hora e nao tem vergonha disso!

Ela abre um sorriso branquinho e diz: vc está intimada a ir comigo para x,y,z lugar. E tem como negar?
Ela é pequenininha, tem um olho cor de mel e uma pele da cor do pecado. É cheirosa sempre. Aliás, na outra encarnação deve ter sido uma flor.Adora um por-do-sol, umas mumunhas, uma mainha, uma cervejinha e um vinhozinho, "ah, pode uma porção de batatinha também?". Ela é uma menina que virou mulher, que cresceu, que conseguiu lidar com isso.
Ela é firme e forte sempre, a gente da uma escorregadinha, umas champanhotinhas, umas bebidinhas, umas vodikazinhas mas sempre lembrando "nunca mulherzinhas"
A Amiga que eu escolhi para ser minha, e ta comigo e ta do meu lado e forever, nunca nega uma caroninha, e chega sempre toda faceira cheia de pulseirinhs vip na mao dizendo : Vamos amiga? pode subir!
Ela é meu doce mais doce que batata doce e eu confio nela, até debaixo dagua ate com o ouvido cheio dagua e ate sem lente de contato.
Porque ela é meu xodózinho!
Ela tem um caminho a seguir, é guiada pelos pezinhos e pelos familia enorme de parentes e amigos que tem. Se na vida passada ela foi uma flor , na próxima será um pássaro. Eita frasquinho que gosta de voar! E não é que é verdade que nos menores frascos se escondem os melhores perfumes?

Te amo xodozinho!

domingo, 5 de outubro de 2008

PS

Quando você me disse “ele não me ama mais” – para não dizer logo de uma vez “ele deu no pé porque nunca me amou, eu sei” -, tive vontade de largar tudo, às 16h20 da tarde de quinta-feira, para ir até aí te dar um grande abraço.

Minha vontade era te segurar, amiga, como se você fosse uma extensão de mim mesma. Eu seria capaz de tudo, ou quase, para trazer você de volta da tristeza em que entrou.

O problema aconteceu nos dias que sucederam essa primeira notícia. Você quis ser a CDF moderninha, quis mostrar que leu toda a cartilha da Simone (sim, a de Beauvoir) e, pronto, deu pra bancar a mulherzinha a fim de não perder seu homem (e, veja bem, nesse caso o verbo “dar” não quer dizer “começar”).


Claro que eu, tonta que sou, na realidade disse apenas que tomasse cuidado. Falei que a gente poderia dar um jeito de você se sentir menos sozinha, que meu amigo tem uma amigo que é amigo do amigo do fulano que é um cara genial e bom de cama, e que, como tudo na vida, sua fase passaria. Tola eu, tão boazinha...

Aliás, não só eu. Lembro-me bem de quando eu fui a otária da parada.
Sei exatamente como foi que você tapou o meu sol: com a peneira, claro. Eu queria ouvir que ele ia mudar e eu ia aceitar fazer um acordo e continuar tudo numa boa. Você, toda doce, descolou um coral para cantar o eco da minha vontade.

Ai, nós mulheres. Tão otárias. Sempre com esse eterno cuidado com as palavras. Temerosas com os estragos que podemos causar no coração dos outros. Melindrosas ao lidar com as amigas. E, claro, doutorandas na arte de suavizar as cretinicesses ligadas ao cromossomo “y”. Quanta incompetência.

È só uma fase bruxolinda, e te ver aí sentada tomando chá com cara de quem nao ta esperando mais nada me assusta e nem parece aquela que chegou aqui cantando pra mim "dont wanna short dick man" aquele dia. love forever!

Telepatia


Até que enfim descobri o problema.
É a falta de comunicação.
Não por não ter o que dizer ou por falar na hora errada.
Por não saber falar.
Não saber se comunicar, nem com passarinhos, nem com namorado, nem com ninguém.
Só com Deus mesmo, porque com Deus, pode ser por telepatia.
Ele ouve os pensamentos, pedidos, rezas, tudo o que vier da cabeça e do coração.
Que fácil.
Essa é a comunicação que flui e sai naturalmente,
as palavras voam, se organizam, são explícitas.
Desculpem por emails, ou cartas ou silêncio.
Mas a única forma que descobri de brigar, explicar e expressar
foi essa,
que só Deus escuta.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Nadando contra corrente, so pra exercitar...

Alguém me disse certa vez que depois que inventaram desculpas, todo mundo acha que pode viver errando. Eu não acredito nisso. Acho que pedir desculpas só é suficiente quando o erro não se repete mais. Pedir desculpas é se redimir, é baixar a cabeça e admitir que andou fazendo (pensando) o que não era certo. E por isso eu não quero pedir desculpas, porque sei que elas vão soar no seu ouvido como um filme de sessão da tarde: Repetitivo, você já sabe o final. Eu escrevo uma cartinha colorida, passo uma tarde na sua casa, choro no seu ombro, depois a gente ri, se abraça e fica tudo bem por um certo tempo. Mas aí as coisas voltam a ser como eram antes algumas semanas depois. Ok, eu também já vi esse filme e não quero convidá-la pra assistir novamente.
Ontem cheguei cedo em casa, deitei na cama e fiquei olhando pras minhas estrelas de plástico. Há bem pouco tempo atrás elas não estavam ali me fazendo companhia e eu percebi quanta coisa mudou nesses últimos tempos. Andei fazendo trocas inconscientes e quando percebi já havia afastado de mim um sem número de hábitos, coisas e pessoas. Hoje meu telefone não toca mais insistentemente nos finais de semana meu celular muitas vezes passa o dia desligado, minha caixa de e-mails nunca está lotada e eu tenho produzido mais no trabalho.
Eu estou bem comigo mesma, estou dando valor a coisas que eu simplesmente ignorava. Tracei minha vida, determinei horários, trabalho quando devo, converso quando quero, escrevo quando preciso. Hoje tenho liberdade de sair do trabalho e ir bater perna por aí se estiver com vontade, de andar sozinha pelas ruas e entrar em lojas baratas pra comprar bobagens, comer no burguer king até doer, tomar um ônibus diferente pra ir pra casa, visitar minhas amigas. Fazer o que eu quero fazer.
Antes não tinha vontade de sair ou ver ninguém, passava dias inteiros enfiada no quarto lendo, cantando ou simplesmente dormindo e vinha trabalhar na segunda feira com a sensação de que não tinha feito nada que se aproveitasse de verdade. Os telefones tocavam e eu ignorava. Os convites vinham e eu inventava uma desculpa qualquer. Uma preguiça de viver que me machucava mais do que me fazia bem. As cobranças começaram. E foi aí que eu precisei de alguém pra ouvir um texto novo que eu havia escrito, pra ir pro cinema comigo ver aquele filme que havia estreado, pra falar das coisas do mundo que pareciam mortas pra mim. Mas eu não movi um músculo. Não fiz qualquer movimento pra mudar isso. Continuei lendo sozinha em voz alta os meus textos novos, ou algum interessante que eu encontrava na net, deixando os cinemas de lado, matando ainda mais as coisas do mundo. E o mais engraçado disso tudo é que eu me sentia bem. Eu não sentia falta. O que eu mais queria era acordar cedo trabalhar e ir pra academia no final do dia, me atirar na piscina e
FODA SE SE O CHEIRO DE CLORO ME LEMBRAVA VOCE.

Eu me acostumei ao que antes me incomodava e fiz disso a minha nova vida.
Eu mudei, meu amigo. Mudei mais rápido do que pude perceber e eu não escolhi isso. Não foi algo que eu decidi, tipo, acordei hoje e agora quero ser assim. Não. Aconteceu. Quando me dei conta muitas de minhas mudanças já tinham ocorrido de forma irreversível. Afastei você e outras tantas pessoas que importavam pra mim da minha vida e não deixei que ninguém mais entrasse nela e eu nem se quer percebi isso. Claro que as mais insistentes ainda estão por aqui e a elas eu devo muito. Afinal, elas aceitaram todos as minhas recusas, brigaram comigo diversas vezes, bateram o telefone na minha cara ou deixaram mensagens grosseiras na minha caixa postal, mas nunca deixaram de me procurar quando sentiram a minha falta. Elas aceitaram as minhas crises e a minha nova realidade a duras penas, no meio de conversas sem argumentos e muitas lágrimas pra preencher o que eu não conseguia explicar. Elas foram na minha casa, me arrastaram pelo braço e me mostraram que ainda existia alegria lá fora,que eu continuava sendo a alegria delas.
Eu podia ter sido mais flexível que voce, mas na quiz e te joguei na lata do lixo, e isso foi uma opçao minha, as atitudes foram minhas, as iniciativas foram minhas, e voce ficou parado esperando eu falar, esperando e eu nao esperei, eu fui lá fui mulher grande como sou, nao quiz pagar pra ver.Eu sabia oque iria acontecer.
E eu não quero e nem posso cobrar isso de você porque as pessoas são diferentes. Eu não tenho esse direito. A sua vida seguiu a parte de mim e sei que volta e meia a gente se perguntava: ‘O que foi que aconteceu com a gente?’ ‘Onde foi que eu errei, afinal?’ Hoje eu só queria te dar essas respostas.
Você não errou. Você esperou.
Eu não errei. Eu mudei.
Nossos caminhos se abriram e a gente tomou outros rumos. Hoje eu sou uma pessoa que você não consegue entender, mas que quer manter ao seu lado. Hoje você é uma pessoa que eu sempre consegui entender e que ainda quero, sim,por perto, mas so quando estiver em paz e tiver coisa para me faer brilhar os ohos caso contrario, sim eu desejo bloquear este contato.
Mudar não é fácil, muito menos quando não se espera. As pessoas se afastam de você, não te entendem, cobram que você ressuscite seja lá de onde se perdeu. Mas eu mudei e não escolhi isso. Existem coisas que não me interessam mais e outras tantas que me incomodam e isso nada tem a ver com o seu comportamento ou com o de quem quer que seja. Só tem a ver comigo, com o que eu penso e com o que eu acredito. Eu não sei o nome do que aconteceu comigo, nem sei se tem volta, tampouco se ainda existe em mim pedaços daquela menina que você conheceu há uns tempos atras. Não posso pedir pra você entender o que nem eu mesma entendo. Eu só queria que você nunca duvidasse do que eu sinto, porque isso não mudou. Lembro que no seu cartão de aniversário desse ano eu escrevi que "voce muitas vezes vai ouvir eu dizer que tenho a maior sorte do mundo de ter conhecido voce" E a única coisa que eu queria te dizer hoje é que embora muitas coisas aconteceram prefiro ficar com aquela sua frase "o tempo que que for preciso para eu ficar contigo" e isso basta por hoje boy, sei que voce vem aqui procurar algum sinal meu, como anda minha vida oque ando fazendo.
Saudade, isso que senti enquanto escrevi esse post, e é o mesmo que voce sentiu para vir ate aqui!
As coisas mudam, e queria dizer te depois de ontem :
"Perdoa, nao poder te olhar mais com os olhos da primeira vez"
Ocorreu um erro neste gadget