segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eu vou contar o que aconteceu

Ela sempre quis fugir da solidão. Quando ele perguntou, ela logo falou o nome dela, com esse propósito. Mesmo que subliminar, mesmo que camuflado nas suas risadas sem jeito. Ela aceitou a carona dele, achando que não iria ficar sozinha estando ao lado dele. Ele parecia tão especial. Ela esperou a ligação dele. Esperou, porque sabia que ele era alguém, e eles dois sendo alguém juntos, naturalmente não estariam sozinhos: um teria o outro. Era isso que ela pensava. Ela nem quis saber. Passou a esperá-lo no portão. Passou a sorrir quando pronunciava o seu nome. Mas, sabe, ela estava enganada. Tão enganada, meu Deus. Ela achava que sabia o que era a solidão, mas foi só depois de conhecê-lo que ela viu o que realmente era a solidão. Nada a deixava mais só do que estar ao lado dele. E foi isso que aconteceu.

Do sonho...

Eu dançava com muitas pessoas, tenho a impressão de que eram as que eu mais amo...
Não conseguia parar num só lugar, estava bastante alegre e querendo que a noite não acabasse
Não tinha muitas preocupações nem muitos planos, mesmo assim me sentia bem, a noite embalava, as estrelas no céu, um ventinho leve de levar os pedidos as estrelas em forma de segredo para que elas caissem despercebidas só pro meu querer...
Tenho a impressão também que era uma cena que vivi....
No final do sonho caía uma chuvinha fina e o cheirinho de terra molhada contribuia mais ainda pra minha alegria.
Era meu aniversário,
Eu estava vestida de noiva,
E dessa vez eu disse sim.
E parece que não me arrependi.
Reza a lenda que acordei sorrindo...

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

"Ia lhe dizer agora uma coisa muito importante. Mas é tao importante que prefiro nao dizer. Só é sincero aquilo que nao se diz. Boa Noite."

Fernando Sabino

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Eu quero....

Quero dias de praia. Dias de luz. Dias de paz. Dias de pouca roupa e muita leveza. Quero dias onde o azul do mar tenha tom de azul bebê, a areia da praia, quase rosa. Dias de pessoas relaxadas, despreocupadas e mais de bem com a vida. Quero dias assim para as pessoas que eu amo, para as pessoas que eu adoro, e principalmente para as pessoas todas. Quero dias para me sentir feliz. Dias de encontro. Dias de palavras que se encontram. Dias de sonho. Quero sentir a possibilidade de dias assim, então quero dias de crença ingênua, porém, consistente. Quero muito e sinto esses dias bem perto de mim. Como diz a canção, dias de luz, dias de sol e um barquinho a deslizar. São os dias que eu quero. Para todos.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

das impossibilidades

Ela mal podia ver entre a pouca luz. ainda assim o reconheceu. sorriu. abraçou. o mundo parou. ela queria ficar ali, no abraço.
apaixonante.
mas logo lembrou do mundo. de tudo que implicaria aquele abraço, aquela cerveja, voltou ao som. disfarçou. sentiu-se mal, assim como ele.
ele contou as coisas que o amarguvam, ela entedeu, palpitou, se sentiu se tensa e  incomodada.
encostaram no balcão. de cabeça baixa, olhavam de canto de olho. ele sabia que tinha que sair dali. ela queria a distância segura.
uma estrela caiu.
e foi assim que a noite acabou com o dia seguinte. e foi assim que um aperto muito forte chegou no coração. e foi assim que ela se sentiu a mais inconstante das criaturas.

"Não esquecer da minha pequena"

Caren, sonhei com você....você estava leve, a gente encontrava uma 'troupe' tipo saltimbancos e você dizia que adorava eles, começava a cantar as músicas deles e eles te convidavam a fazer um tour ...acho que tu foste com eles!
Eu acordei, sentei na cama, abri minha agenda pra poder me localizar e encontrei o teu convite de formatura todo dobradinho e no verso dizia "não esquecer da minha pequena".
E eu fiquei lembrando do dia da formatura que eu driblei os fotógrafos, as famílias dos formandos(inclusive a tua) e apareci lá no cantinho esquerdo do palco e te dei o primeiro beijo depois da cerimônia, e falei baixinho no teu ouvido: viu? Eu sempre chego a tempo.
Você me deu um daqueles sorrisos de olhinhos fechados e sempre muito preocupados em agradar a todos.
Fiquei pensando na nossa amizade...
E acabei lembrando daquele dia que te tranquei pro lado de fora de casa e no outro dia fiquei com tanto peso na consciencia que só sabia pedir desculpas chorando, mas dali a pouquinho veio um flash de nós duas atiradas, deitadas no chão do estacionamento do prédio rindo sem parar as seis da manhã, e tive mais uma vez a certeza de que nosso caminho é bordado a flores. Muitas delas, amarelinhas como o girassol que tu és que sabe muito bem virar pra luz.

Fiquei pensando como o nossa amizade é digna de muitos brindes e todas as lembranças bem armazenadas sejam aqui, ou no nosso coração.
Talvez nossa história, nossos pais, ou a falta deles.
Talvez nossa espiritualidade, nossa insistência na vida e nas nossas famílias.
Talvez por isso, eu venho escrever nesta noite fresquinha com o som das folhas das arvores servindo de trilha sonora para mim enquanto você esta num canto da cidade ouvindo músicas romanticas e trocando juras de felicidade com um gato  sortudo previamente aprovado por mim. (desculpe a ousadia).
Certamente por causa disto que o título dessa postagem não poderia ser nada diferente do que é.
Para você toda minha amizade e toda a minha lealdade.
Com o amor de quem sempre chegará a tempo.

Suelen Mônaco.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

E eu ...

e eu continuo ficando, vendo você levar partes de mim que antes eu nem sentia falta. E você continua escrevendo sua história pulando linhas, errando palavras, esquecendo os títulos. E eu continuava escrevendo seu nome com letras cheias, para tentar preencher você de alguma maneira. Pra tentar deixar tangível a sua existência. E principalmente pra poder amassar o papel e jogar no lixo. Voce é o acaso do acaso. O descaso desconhecido. 
Incógnita.
Vontade de pegar a bolsa e sair correndo.
E de ficar ouvindo suas histórias.
Sem perceber que o tempo passa....

"Daqui a pouco já não fará mais sentido, já não existirão motivos para que nós continuemos, assim, como estamos. Daqui a pouco já não dá mais para voltar atrás, para recuperar e não deixar escapar o que um dia perdemos. Daqui a pouco eu já não serei o que você quer, e você não saberá mais me fazer sorrir em dias nublados. Daqui a pouco é tarde demais, mas isso tudo é entre eu e você."

sábado, 21 de novembro de 2009

Ele pensa que eu não sei....


Lá vai ele de novo.

Pé na estrada.

Dificilmente liga o som. Assim que inicia seu trajeto, quase sempre a um rumo incerto, ele prefere mergulhar nos seus pensamentos grandiosos sem interrupções. A música lhe provoca emoções satisfeitas só mais tarde, na eterna busca noturna longe de casa.

Vai enrolando uma mechinha de cabelo acima da testa, e segue viagem: o início de mais um desafio ou a continuidade deles. Pelo menos é nisso que ele procura pensar pra ter coragem de assumir seu volante e partir, como já fez tantas e tantas vezes.
Conforme vai enrolando essa mecha de cabelo, vai alimentando seus sonhos ambiciosos, suas projeções de futuro, vai antevendo o sucesso que tanto persegue.

A estrada, o movimento dos dedos no cabelo, a solidão são suas terapias. Ele mergulha profundamente naquilo que tem de mais seu e que jamais revela a ninguém. Imagino o misto de sensações que se misturam ali, naquela alma inquieta, insatisfeita, misteriosa.

Atravessa cidades e Estados como se tivesse nascido de um caminhão, feito para as rodovias, para as distâncias. Distâncias tão pequenas perto daquelas que impôs entre ele e os demais seres humanos. Vive sozinho e assim se aceita.

Talvez não aceite e nem goste da solidão verdadeiramente, mas nunca admitirá isso a ninguém. Em sua mente, é melhor assumir a condição do que expor aquilo que pode desencadear suas maiores fraquezas.

Lá vai ele, mergulhado em si próprio numa busca para a qual ainda não existem mapas. Ele ainda vive sem norte, simulando direções.

Ignorando paisagens e personagens, vai passando pela vida, veloz, frenético, ansioso, desesperado por respostas e oportunidades. Não vê, mas entende e memoriza tudo à sua volta. Pouco lhe importa, o único lugar que tem medo de desbravar verdadeiramente é sua personalidade, suas ações e reações, as causas que acumula – os efeitos das ventanias que planta.

Não é ruim, não. É único. Tão único que sente dificuldades extremas de se encaixar nesse mundo, nesse formato fútil de conveniências. Talvez ele seja o mais puro dos sobreviventes.

Lá vai ele, fazendo poeira de pneu, deixando uma calmaria a que os seus não estão acostumados. Dali a pouco ele volta – se Deus quiser ele volta -, e traz de novo o barulho, a inconstância, a contradição, a raiva. E traz também o antídoto que só ele possui: cura da nossa saudade.


Essa postagem de hoje teve colaboração completa da minha mais nova descoberta : Aliz de Castro Lambiazzi
Creditos pra Aliz.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Quem começa uma história pelo fim, perde a glória do aplauso na chegada!


Eu estava aqui assistindo um filme e comecei pensar sobre uma coisa que há tempos estou pensando em escrever. A Tal de liberdade.
Não quero generalizar, desculpem-me se eu estiver sendo extremista.
Muitas pessoas quando namoram, casam, ou tem um “caso” com outra pessoa sentem se na maioria das vezes “dono” do outro.
Gente, nós não somos donos das pessoas. Não podemos tratar seres humanos como se fosse propriedade nossa. Nem a mãe que gerou um filho e esperou nove meses para que ele nascesse tem esse poder.
Livre arbítrio.
Ninguém pode tratar seu par como se fosse um troféu, um objeto pelo qual podemos nos sentir proprietários.
Pessoas não são objetos, pessoas não são coisas que vamos lá efetuamos pagamento pegamos a nota guardamos na gaveta e será nosso até que provem o contrário pra comprovarmos com a nota!
Onde existe amor, não existe espaço e por isso não deveria haver tanta preocupação, tanta possessividade e tanto egoísmo como tenho visto por aí.
Respeito.
Trancar uma pessoa dentro de casa não vai faze la te amar mais. Revisar o telefone, a caixa de entrada do email, os bolsos, a carteira, nada disso vai te imunizar de possíveis traições ou futuros rompimentos.
O que existe é a ordem natural das coisas.
Não podemos oprimir, e muito menos encontrar justificativas para isso.
Uma pessoa limitada é uma pessoa triste. Uma pessoa insegura é triste.
Desconfiança gera desconfiança. Não podemos obrigar ninguém a gostar de ninguém e esse papo de cupido, nem minha avó acredita mais.
Nada acontece sem que ambas as partes colabore pra que aconteça.
Ninguém ama sozinho, ninguém trai sozinho e ninguém deixa de gostar de alguém porque passou uma gostosa de shortinho apertado na rua.
Quem aqui não gosta de sentir o coração pulando com um toque de sms no celular?
E quem também gosta de sentir raiva do celular recebendo o mesmo bipe continuo trinta vezes por dia?
O  cara pode achar milhares de mulheres atraentes em todos os lugares, lindas, bonitas e cheias de outros atributos e mesmo assim, quando você aparecer ele vai largar tudo e dizer um SIM bem grande quando te encontrar!
A menina pode ter sim outros rolos, outras nuvens passageiras mas quando ve lo chegando vai esquecer tudo e fazer o impossível para não desperdiçar um minuto do lado de quem ela realmente quer.



Ninguém é dono de ninguém. Ninguém sabe a vontade, o desejo, a real sensação que sentimos uns pelos outros.
Existem coisas que é preciso moderar. Até um terço rezado mais de dez vezes enjoa, até o doce de mais enjoa.
Não tenha medo de se envolver, de apostar, mas não sufoque ninguém com esse sentimento.
Isso é natural. Desde o primeiro beijo que damos em uma pessoa, já imaginamos mil coisas em mil lugares e milhares de outros acontecimentos que não sabemos se vai ou não se concretizar.
Mente quem diz que não. Ninguém entra em um relacionamento sem esperar nada. Todos esperam alguma coisa,não importa qual é, nosso cérebro em questão de segundos já previu centenas de situações diferentes, diversos beijos, uma porção de idéias em tão pouco tempo.

Então vai uma dica, ao invés de conservar alguém ao alcance dos olhos, conserve o brilho no olhar. Conserve o arrepio do toque do telefone. Conserve a alegria de receber um email, e o abraço da volta.
Não torne o bonito exaustivo!


Não existe isso de “eu fiz tudo por fulano e ele não valorizou”, ou até deixei de jogar futebol por fulana, ou de ir à missa, ou a festa, ou seja, lá o que for.
E nada de cair na asneira de enumerar todas as coisas que se foram feitas pra mudar, melhorar ou fazer com que a paixão fosse retomada.
Ninguém pode ser amável 24 horas por dia. Nem gentil, nem tão carismático.
Pode ser que a minha insistente diplomacia não seja a que se pensava, e talvez o meu sorriso não seja tão retinho quanto eu gostaria, mas ele é o mais puro que posso sorrir.
Pode ser que realmente a distância seja um pouco grande pra tanta fome de presença, mas não vou atribuir a ninguém uma responsabilidade que é só minha. De ser Feliz!
Talvez eu não seja mesmo o melhor dos partidos, mas eu não vou infernizar a vida de ninguém nem colocar um detetive na porta de casa de quem quer que seja.
Não posso prometer a ninguém amor eterno e muito menos ser precisa pra dizer onde e o que estarei fazendo daqui cinco anos, mas pede o que quiser como quem pede um sonho e eu sou capaz de conseguir por ti.
Eu não sou o maior gênio de todos os tempos, e não sou a menina mais bonita da minha rua.
Eu não tenho um carro do ano, também não tenho um cavalo branco.
Mas o que tenho e terei de mais valor já te está entregue.

Sem medo, de nada, nem ninguém.
E o mais importante.
Sem culpas, arrependimentos, cobranças ou imposições.

Amor é confiança.
Um final de semana maravilhoso a todos.

Branco, se você soubesse , o valor que o preto tem , tu tomava um banho de piche e ficava preto também!

"Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos haverá guerra."
 Bob Marley 

Não importa onde você vá....




Gente, dá um pause no radinho aqui do lado e um play nesse video, vale a pena

Não importa quem você é
Não importa onde você vá na vida
Você vai precisar de alguém para esperar por você
Não importa quanto dinheiro você terá
Ou quanta liberdade vc tem
Você vai precisar de alguém para esperar por você!"

Quando a noite tiver chegado
E a terra estiver escura,
E a lua for a única luz que veremos,
Não, eu não terei medo
Não, eu não terei medo,
Da mesma maneira que quando você espera por mim

E querida, querida, espere por mim
Oh, espere por mim, oh, espere
Espere por mim, espere por mim

Se o céu que vemos lá em cima
Rompesse e caísse
Ou as montanhas
Desmoronassem para o mar
Eu não choraria, eu não choraria,
Não, eu não derramaria uma lágrima,
Da mesma maneira que quando você espera por mim

Então querida, querida, espere por mim
Oh, espere por mim,
Oh, espere, espere por mim, espere por mim

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Por que foges Beija Flor?

Vou linkar um texto meu aqui, eu gosto muito dele.Nada relacionado com ontem ou qualquer dia, é o conteúdo que interessa lá.
Que eu continue sempre sem saber, mas na direção certa;
Créditos pra mim gentem!
http://sumonaco.blogspot.com/2008/08/faixa-preta.html
Apartir de hoje senhores, meu blog tem novas configurações, uma delas é opção de comentários anônimos e de usuarios que não tenham um blog, do contrário como era antes, agora todos que quizerem podem comentar, reclamar, criticar , elogiar.
Ah e tem também uma ferramenta que envia direto o textos pro pessoal que passa por aqui, se alguem não gostar é só cancelar!

Fiquem a vontade e voltem sempre né!
e pra quem nao sabe eu sou a @sumonaco no twitter

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Naquele dia que você olhando me firmemente e segurando meu braço afirmou que eu nunca estive sozinha, eu lembrei de quando te conheci, acreditei que seria coisa passageira. Mas o que era para passar, ficou. Ficou em mim e sabe lá Deus se em você também. Nunca imaginei, muito menos esperei por isso. Vai saber, talvez eu tenha que agradecer pela magia que existe, ou pelo menos se esforça, tentando existir.
Pode ser só instabilidade. Amanhã passa, melhora, cura. Não é nenhuma novidade meu medo, minha insegurança. Parece bobagem, mas sem motivo algum, senti medo de perder você. Na teoria não há como perder algo ou alguém sem possuir o mesmo, talvez isso me cause algum alívio. Tanto para mim quanto para você.
"O amor neurótico impede tudo o que constrói uma relação saudável. Impede a amizade. Impede a cumplicidade. Impede a franqueza. Impede a honestidade. Impede a sinceridade. Impede a paz de espírito. Impede até o sexo realmente bom. Porque o sexo só é realmente bom com todos aqueles atributos. … Fuja do amor neurótico. Fuja enquanto dá. Enquanto você está fisicamente vivo e mentalmente são".

domingo, 15 de novembro de 2009

Chega de fazer fumaça


Não aperto o travesseiro contra essa paixão, não o digo pra deixar de sussurrar aquela canção que só não é mais bonita que nosso olhar. Fomos entregues ao acaso. E você sabe que sou eu quem combina com você, e que as nossas manhãs acordam sorrindo. Você sabe que as nossas frases se atropelam com o mesmo som e as mesmas palavras. Você sabe qual a velocidade média do meu coração ao te encontrar, sabe dos “acidentes” de entusiasmo que acontecem só de ouvir o teu nome. Pra quê dizer-te tão explicadamente, se eu sei que se eu tentar dizer vou ouvir de ti um “eu sempre soube”, ou um sorriso embaçado pelos medos dos fantasmas que tentam nos pegar? Ou pior. Por isso te esperei, porque sei que todo bom fruto tem que primeiro amadurecer antes de ser colhido. Por isso guardo esse desejo e te apresento somente o brilho através dos olhares e dos sorrisos que te oferto. Por isso torno um tanto impublicável tudo isso que venho aqui escrever esta noite quando a garganta embola. Por isso a cada vez que esmoreço volto à tona logo logo, e aposto minhas fichas todas e minha paz, no mais legal que há entre nós. E pelo que vejo refletir de ti, acredito e não pretendo desistir. Porque cedo ou tarde, hoje ou amanhã, essa loucura de imã vai permanecer aos trancos e aos barrancos.

Foi pelo teu sorriso que eu entreguei todo medo em praça pública, foi em troca de nós dois juntos que eu decidi pular do alto do Himalaia. Voei e não caio
.


Você me salva da tristeza!

sábado, 14 de novembro de 2009

Minha fé silenciosa, meu atalho meu destino....

Sim!
Você sabe de mim
Quando eu não tô afim
Quando eu só quero brincar
Não! Sim!
Mesmo que eu diga não
Você não me desdiz
Mas me chama atenção...

Vamos lavar
Toda a roupa suja
E mergulhar de cabeça
Nos armários da ilusão
Riscos vem à tonaE eu pareço um otário
Como você que é uma pedra
Em meu caminho...

Minha pedra preciosa
Minha preciosidade
Minha preciosa idade
Minha presa
Minha fé silenciosa
Meu atalho, meu destino
Minha pretinhosidade
Minha festa!...

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Sad Sabrina

Sabrina, esse seu nome, ele é tão pobre quanto sua triste existência.
Nomezinho de santa vulgar que diferente de muitas mulheres que podem usar mini-saia e não transpiram vulgaridade como você que usa essa roupa de hippie brega e tênis encardido. Viram-te dia desses no Shopping, ele te presenteando com roupas como as que eu uso. Tentando te remodelar. Mas você é nojenta. Como a sua alma.
De quantas cores já foram teus cabelos? Cada homem uma cor diferente para agradar. Pobre santa fingida.
Sua história para mim não é novidade. A repetição das ocasiões te fazem descrente, a vontade da vontade que perdeu te reduz ao pó. E ele sabe, ele sabe que metade de você morreu nele. Você contou. Ele me contou. Agora o porquê de sofrer tanto é o que eu mais me questiono, pois sim, eu tenho todo o direito do mundo para te questionar, eu sou o que você não é, eu falo o que você não pode falar, mas a sua vantagem em relação á mim, é que eu sou apenas a sua teoria e de fato. Eu posso tudo o que você NÃO pode, então não posso sentir. Você foi uma menina má, agiu com tamanha perícia como uma criminosa, calculou tudo e inventou mentiras perfeitas que ninguém jamais esperaria de você. Sua mãe se assustou, seu pai já esperava isso de você. Seguir seu "Manual de uma mulher malvada" para mim você é apenas uma brincadeira, jamais uma verdade e um fato idealizado e consumado. Eu sei que a sua vontade nesse momento é contar toda a verdade para o bananão lá. Acontece que uma parte de você descobriu quase sem querer o que é amar alguém além de qualquer coisa e de qualquer um e sei,que ainda hoje, se você tivesse que escolher entre sua própria vida e a do "Diabo infielmente seu", você morreria para que ele pudesse viver e sentir ao menos uma pontinha do lado bom que você sentiu. Você cometeu erros e você não é nem nunca foi a adorável garotinha do bananão lá,e sabe por que? Porque você é uma burra Sabrina! Sabe o que ele veio m falar? Que você calçava 39 e tinha pés horríveis que cabem no tênis dele. Ah tenha paciência, o cara fazer comparação até dos pés! Você induz o amor dele por mim. Você faz ele me procurar. E eu diferente de você, tiro de letra na arte de desprezar. Você é uma vaca insensível. Você deixa ele te maltratar. Tantos garotos, agindo como meninos, e você aí se fazendo de doce, a minha vontade era a de te bater até que você tomasse vergonha nessa carinha de boazinha e voltasse ás origens de quem você realmente é..ou será que a garotinha achou que ainda havia redenção? Não existe redenção. Você vai, faz e faz tudo de novo. Você nunca vai ser real. Você não passa de um remendo. E você sabe porque..e você deveria dizer porque,vamos ,fala: "Ele é um bosta interesseiro.É um filho da puta que se aproxima das pessoas que convém".Mas você não diz, porque você não tem coragem de reduzir o sentimento dele a nada. Mas deveria. Você, Sabrina.. é uma idiota.Achou o que? que estava errada o tempo todo? que não está condenada a saber das coisas até mesmo antes que elas aconteçam?..Não,você sabe que não.Você nunca teve ninguém...a teoria de que quem ama deixa ir,é verdadeira. Ou você também acha que foi uma conclusão de alguém que nasceu com talento para ser corno? Não..o amor é extremamente livre e foi isso o que você fez com ele. Chantagem. Magia. Mas você preferiu assumir que jamais teria coragem de vê-lo partir e sabe por que? porque você é ma fraca. E os outros? os anteriores? os que nunca fizeram nada por você? aqueles que você tentou construir uma história??.. Você vai enfiar a história no cu. Você é capaz de jogar anos no lixo por horas..Uma espinhenta corcunda que sequer pode sentir alguma coisa. Um ser extremamente racional que não entende a irracionalidade da espécie. Que acorda com a escova de dentes na boca e os dois olho no meu blog. Você lê o que eu escrevo todo dia. E mostra meus textos, e me dá ibope. Uma vulgarzinha que acha lindo tomar porre e parar no hospital como ele disse. Macabrinha você é Sabrina. Que me julga, sorri sarcástica, manipula meu lado positivo. Eu sou a filha da puta que você diz que sou, porque esse meu lado maldito tem nome. Suzana. Eu não sou as meninas bonitas das revistas e mesmo assim você destila sua inveja mórbida sobre mim, eu não sou exemplo de qualquer coisa que seja a não ser a representante oficial daquelas que são o que são sem ter que esmolar. sem ter que me preocupar com s ouros. Você inveja minha alegria, minha felicidade, você me segue e sonha comigo. E se você não aprender a ficar quieta, Sabrina, te mando pro inferno que te cai bem. Pois é lá que os espíritos sem luz vivem.


Agora poe pra tocar Creep do radiohead e vai chorar na cama que é lugar quente.
E se conseguir por um segundo esquecer oque leu aqui, tente ter um bom dia!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Não me impressiono com cifras, títulos ou promessas. Não acredito em palavra dita ou escrita. Acredito em atitudes, somente. Palavras, eu já tenho. Nasci com esse dom. Posso te contar minha vida inteira e, ainda assim, você não vai saber nada de mim. Quer me conhecer lendo meus textos? Nem tente. Eu não conseguiria descrever um décimo de tudo que eu penso mesmo que eu soubesse todas as palavras do mundo. Não reconheço um homem meu tipo à distância. O homem meu tipo vai muito além de um cara bonito qualquer que cruza meu caminho. E sei bem a mulher que sou e não seria novidade que os "bonitos" ou mesmo os nem tanto, se sentissem atraídos. Não sou do tipo que precisa ser paquerada pra aumentar minha auto-estima. Isso eu já tenho de sobra. Me amo desde as canelas finas aos bem tratados fios de cabelo.Cuido da minha alimentação e da minha saúde , física e mental. Tenho coleção de roupa de lycra e maiô. Gasto boa parte do meu dinheiro na academia. Uso xampus de 90 reais. Me cuido como se eu fosse uma princesa. E exijo ser tratada como tal. Não preciso dar golpe do baú, golpe da barriga ou golpe da periquita louca ou da psicótica. Tem muita mulher se dando bem dando pro homem certo, pegando homem babaca só para deixar de ser encalhada e exibir namorando no status do orkut. Mas eu prefiro me dar bem do meu jeito. Vim ao mundo a passeio. Sempre tive namoros e relações duradouras e de muito conteúdo. Eu sou quem dou as cartas. Não pretendo construir nenhum império nem ficar aqui por muito tempo. Cuido da minha família toda, das minhas amigas, das minhas afilhadas, do Marley, da minha loja e da minha espiritualidade, que são as coisas mais importantes da minha vida. Todo resto é bobagem. Pode ficar com minha casa, meu dinheiro, minhas pratas, minhas roupas. Só preciso dos meus documentos pra eu lembrar quem sou. Como se eles, os documentos pudessem me dizer. Nunca seria política. Não sei agradar ninguém dizendo algo que não penso. Ou que não é. Tento dar bons exemplos. Tenho consciência de que sou responsável por tudo que escrevo uma vez que deixo alguém ler. Falo palavrão na hora certa. Xingo na hora errada. Escrevo tudo que vem à minha cabeça sem roteiro, sem pensar se vão gostar ou não. Escrevo tudo que penso. Não penso em tudo que escrevo. Escrevo porque é a forma de organizar meus pensamentos. Escrevo porque é a forma de eu me conhecer mais e de você me conhecer menos. Não me importo em ser clichê, nem em repetir isso a cada texto. Não me importo de escrever mil vezes sobre o mesmo tema. O amor é clichê e inesgotável. Impossível não ser igual a tudo que já foi dito. Impossível não dizer de novo a mesma coisa. Ouvi na rádio esses dias uma bandinha “emo” cantar que “pra existir história, tem que existir verdade”. Clichê? É. Mas é a maior verdade que ouvi nos últimos tempos. Não existe mesmo história sem verdade. Mentira tem perna curta, já diz o ditado. E eu digo mais: meias-verdades andam de perna-de-pau. Uma hora, inevitavelmente, elas vão cair. Toda palavra dita se torna mentira sem uma atitude coerente. A verdade está na coerência, na transparência e nas atitudes. Acredito nisso. E repito, acredito em espiritismo, xampus caros e atitudes coerentes. Todo resto é bobagem. Beijinhos pra Brinaa...

Preciso compartilhar uma coisa com vocês! To eu na rua dos andradas (!!!) quando surge uma pessoa fooofa:
-você é a Suelen Mõnaco?
-sou.
-eu leio teu blog!!!

Êeeee!!!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

laura ॐ:

Lembrei da gente agora...
eu to comendo pão com uma deliciosííímaa goiabada,
Lembrei do pai, lembrei do tinga e do stanley, lembrei do mano com a camiseta do gremio beem magrinho e jogando futEbol com os cachorros, arrrumando o quarto dele, lembrei d ti lá sentada tocando violão, pulando o muro, sambando pela casa e me azucrinando, dos beijoa boca que tu me roubava e eu falava aaaai que noojo (agora é eu q roubo ;D), lembrei d mim arrumando o meu quarto e qurendo ficar grande pra trabalhar e ser rica hahahaha,lembrei do pai com as musicas gauderias dele, lembrei dele resmungando, ai que saudade de nós.. das nossas tardes ensolaraadas tomando banho de sol com garrafinhas de coca cola roubadas e escondidas em baixo da cadeira de praia, e eu neem pensava em celulite ainda.
acabei minha goiabada, e vo comer ela pura agora, te amo demais.

Escrito por Laura Mônaco.
Irmã de peixa, peixinha é minha gente.
Estou encantada com a Laura, tem escrito muitas coisas legais.
Minha irmã linda, te amo muito, e amo essa admiração que tens por mim.
Impagável.
Quem tem tem e quem não tem inventa! Muita gente se diverte com o que tem.
E Deus me abençoou demais!
Eu tenho muita sorte mesmo.
AloHa!
Poderia cantar mais ainda. Deveria andar na praia, gargalhar com o coração todas as vezes que a boca pedir um sorriso. Sou intensa e deveria ser ainda mais profunda. Gostaria de ser mais eu, muito mais eu menos brava, mais as intimidades, menos pública, menos saudosa, menos trabalho. Queria ter mais minhas afilhadas por perto, sentir cheiro de bebê pelo menos uma vez por dia, sonhar com flores uma vez por noite, esquecer por mais tempo, tentar voltar atrás as vezes, perdoar, entretanto. Dançar, dançar, dançar, dançar mais.
Tomar mais refrigerante, e o chimarrão menos quente.
Intensidade.
Não conseguiria viver num mundo inventado achando que faria dele uma borracha capaz de apagar uma vida entediante e sem emoção nenhuma.
Deveria ser menos verdade.
Então quando vir falar comigo, não fale de mentiras, de possibilidades maquiadas, eufemismo.
Fale de alma, escute Chico e tenha amigos. Muitos amigos. Mais que eu.
Fale alto, dê boas gargalhadas e ache engraçado o modo como eu danço. Sorria!
Leia livros, comente comigo, e por favor me deixe ouvir um blues e me entenda quando falo que gosto do mar.
Eu sou a mesma de antigamente, melhorada, um pouco mais culta, escrevendo um pouco mais, amando com o pé no chão, continuo romântica, continuo sonhando, amando a vida...
E é assim, nada mais pode me pegar desprevenida.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

@cahcosta1

São seis da tarde e eu estou me preparando pra me dividir em duas, ou melhor, três.
Festas, convites, aniversários e doçurinhas.
Falo com a minha pequena @cahcosta1, pois agora não sou mais a Su Mônaco, sou a @sumonaco, depois falo mais sobre aderir!
Conversando sobre os últimos ajustes com minha amiga para a nossa noite,nos morremos sempre de saudades uma da outra e não tem jeito disso terminar.
Ela tá lá na esquininha do meu coração e cheia de novidades pra me contar...
minha pequena diz:
ai amiga.. temos tanto q conversarrr
minha pequena diz:
uma tarde vai ser pouca
minha pequena diz:
heheheheahhaha
' Suelen Mônaco www.infomonaco.com.br diz:
eu vou te roubar pra mim

E segue o baile, eu digo que tenho uma novidade.
Não tenho roupa, hahaha.
Assistindo minha apaixonante "Laguna Beach", e esperando o gato do Jason aparecer na tela junto com o "the hills" daqui quinze minutos.
Fonezinho no ouvido escutando o @pretinhobasico, e tomando um suquinho de maçã.
Agora dá licença que eu vou atender o telefone.

Ahhhh Delíciaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Im so happy cuz today ll find my friends!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Minhas horas, minhas palavras, minhas lembranças, minhas pequenas preciosidades, minha chave, minhas rendas, meu retrato, minhas verdades, minhas mentiras, meu eu, é tudo seu. E você, que me pertence, mesmo sem saber, mesmo com querer, mesmo louco de tanto me ter. De qualquer forma me arrancando suspiros, me roubando sorrisos. De toda forma, MEU.

e assim o mes se encerra, sei lá em que crença, o ano, e que Novembro seria o verdadeiro início de um novo ano. Pois bem, tenho muito trabalho pela frente, para alcançar o esperado estado de espírito de ESTAR BEM. E bem Feliz!

[que é quando você vem, não é?]



Quando se leva o mar no próprio nome, justifica-se mais do que nunca essa paixão, não? Lembro-me da primeira vez que estive em frente ao mar. Fui no colo do meu pai, ele foi me soltando aos pouquinhos, o susto de ver aquela grandiosidade diante dos meus olhos de criança pequena. Mas a atração foi tão maior, que após a segunda escapulida das ondas, já estava com os pezinhos buscando o contato. O mar entrou no fundinho do meu ser e virou tradução de felicidade. Todos os meus sonhos passam-se perto dele. Toda calma que busco para meus dias, eu busco nele, mesmo que de longe, de olhos fechados. Noto nas pessoas que moram na praia, uma calma privilegiada, um olho mais doce, uma s u a v i d a d e . E a alegria tão mais presente. É algo assim que busco para os os dias da minha vida. Quanto às noites, já está tudo certo, depois que fecho os olhos, já sou dele. Sou a Suzana do Mar!
Iamos de mãos dadas na beira da praia quando vimos que uma casal se olhava.
Ela no mar, ele na areia, tudo aparentemente normal.
Mas quando ele correu de encontro ao mar, ficamos surpresos
Eles passaram um pelo outro sem se tocar
Ela não mudou o olhar, estava a observar as coisas sobre a canga, os objetos pessoais.
E ele não correu pra abraça-la
Era na agua que ele queria deitar.
Também pudera, como iria um cavalo curvado e cansado com uma onça gorda combinar?
Ocorreu um erro neste gadget