quarta-feira, 28 de abril de 2010

Isso tudo sem gelo.


Te escrevi quatro páginas de amor
ontem,
bêbada.

Palavras tem disso, sai flu
indo
pelas
canetas.
Hoje, sóbria,

rasguei.
Você não coube nos meus versos...
              Choveu estrelas em meu colchão e fui dormir... 

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Minha homenagem aos noivos Lilian e Paulo Reichert!

Sempre é motivo de alegria sabermos que um casal de namorados, de noivos vão se unir no casamento
Queridos amigos Paulinho e Lilian. Recebi o convite para ser madrinha deste casamento. Comecei, então, a rememorar um pouco da história de vocês...
Foi em 10 de setembro do ano de 2008, quando esta história teve início. Numa festa que sem sabermos, mas o destino já reservava o início de muitos laços.
Neste dia foi selada a grande amizade que persiste até hoje das amigas Caren, Carol, Gabriela, Suelen, Lilian e Paulinho.
A partir desse dia os encontros foram seguidos, e começaram a fazer parte da nossa rotina semanal, assim como deste casal de quem vos falo.
Foi paixão, amor a primeira vista.
E nós os amigos, sempre fizemos parte, e participamos integralmente no relacionamento dos dois, principalmente eu, que me sinto deveras lisonjeada com o presente de poder fazer parte desta história e estar aqui contando a todos a trajetória desse casal amado que irão se unir perante o Deus e todos os amigos e família que sem dúvida estão muito felizes por essa escolha.
Muitos erros e acertos fazem parte dessa história. Todo este caminho foi bordado a fé, insistência, paciência e o ingrediente mais importante deles, o amor.
Ah, o amor, esse chegou na hora certa, trazendo vida, respeito, carinho, vontade, promessa e reciprocidade.
E desde esse dias, que nosso casal se conheceu, digo, reconheceu, porque o futuro está guardado, está nas mãos de Deus, e as pessoas desde que nascem estão prometidas a uma outra pessoa, que a espera, que sonha, desde anos atrás, séculos, outras vidas...
Desde que se reconheceram não se distanciaram em momento algum. E assim passaram por fases como todos os casais. Dentre elas, queria destacar, o conhecimento e a aceitação.
Todos, sem exceção, nesta vida, são diferentes uns dos outros, para ter se uma vida a dois, precisa estar farto de muita, muita boa vontade, entusiasmo e persistecia no amor.
Eles persistiram, se conheceram, se aceitaram, fizeram se entender afastando assim a discórdia, os desentendimentos, as desvirtudes e desigualdades, passando então a serem um só.
A felicidade na vida a dois é um bem a ser preservado, a ser cuidado com carinho, com amor, com delicadeza. Duas pessoas, duas cabeças, duas sentenças tão próximas uma da outra no dia a dia pode ser até mais fácil de cuidar, se o desejo e a necessidade for realmente verdadeira.
E assim o jardim é regado. O "terreno da grama e das florzinhas" é construído por um bate-papo à noite, de mãos dadas olhando o céu estrelado; uma saída só pra tomar um sorvetinho na padaria perto de casa; neste caso na confeitaria em frente de casa não é Lilian? Um encontro pra almoçarem juntos e olhando um nos olhos do outro; uma parada num barzinho pra tomar um refri e colocar a conversa em dia; um “perái que vou com você te ajudar no serviço de casa”. Muitas são as ações que se transformaram em florzinhas plantadas e em gramado cultivado.
Apelidos carinhosos, jantares com os pais dos noivos, votos de carinho e de fidelidade.
O mais importante das ações entre o casal é o diálogo. Não aquele diálogo que contamos o que fizemos ou deixamos de fazer durante o dia, mas o diálogo dos sentimentos pessoais, dos sentimentos que unem o casal. Este é o verdadeiro diálogo que importa no relacionamento: os sentimentos de um diante do outro.
Quero dizer-lhes que sempre admirei o namoro como o noivado de vocês, vividos com idealismo, num clima de afetividade respeitosa, profundamente linda. Talvez nem o percebessem, mas o sorriso, o olhar, as palavras, enfim, o modo de ser de vocês conquistam e fazem a todos acreditar cada dia mais que essa união não é por acaso.
Como é comovente ver você, Lilian com os olhos brilhando falando dos detalhes deste casamento. Como é bonito ver você, Paulinho, sempre alegre, alegrando e confortando a Lilian com teus olhos de certeza. De seriedade, de saber o que se quer e tudo que se espera. E será.
 Como é edificante ver a solidariedade dos pais, dos irmãos, dos amigos e de todos os familiares comprometidos a acrescentar neste matrimonio.
Vocês irão casar se por amor. Ao longo desses dois anos, esse amor passou por tantos sacrifícios, provações e renúncias, cresceu imensamente na gratuidade, purificou-se e tornou-se autêntico amor-doação.
Diante de Deus e da sociedade, relembrando e revivendo o dia em que se conheceram, eles irão agora solenemente selar os compromissos de “amor e fidelidade, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença”, como reza a Liturgia matrimonial. À luz da fé, o casamento tornam-se um momento muito especial de louvor e prova. Louvem e agradeçam ao Senhor por tudo: pelos sonhos e esperanças, pelas provações, preocupações e realizações, pelas alegrias e tristezas, mas, sobretudo pelo amor-doação que, tenho certeza, faz de vocês um casal abençoado e amado.
O pai da noiva, Ernhart Wichmann hoje, sem dúvida alguma, sente se orgulhoso por ter tido uma filha que andou sempre pelo caminho certo, uma vida lúcida, regrada, sem drogas, sem exageros, compreensiva, prestativa e muito cativante, com a certeza que todo o esforço e empenho para a criação dos seus filhos não foi em vão e está entregando- a no dia 02 de setembro de 2010 nas mãos de Paulo Reichert, que se compromete a faze- lá muito feliz assim como a família e os filhos que futuramente irão presentear esse casal trazendo felicidade e alegria para todos os dias de suas vidas.
Com nossas preces ao Deus que os unirá em matrimônio, enviamos-lhes os mais cordiais parabéns e abraços, desejando-lhes saúde, toda paz e todo bem.


Quando iniciamos esta aventura chamada VIDA, não sabemos das incríveis alegrias e tristezas que experimentaremos à frente, nem temos boa noção do quanto precisamos uns dos outros...

domingo, 25 de abril de 2010

God Blessed

Quer algo melhor que chuva pra lavar a alma?
Hoje completo 28 anos.
Deveria criar uma nova meta para cada ano vivido, mas só quero ser feliz.
O resto a gente vai resolvendo.
O importante é a alma lavada e o coração em paz.
E isso eu tenho!
Me sinto extremamente agradecida por cada passo dado até hoje.
Por cada lágrima e cada sorriso.
Eles só existiram porque me foi permitido escolher e ainda que nem todas as escolhas tenham sido acertadas, eu sou muito feliz.
Parabéns pra mim, então!
Quero agradecer a todos meus amigos que comemoravam meu aniversário comigo, confesso que fiquei  muito surpresa ao ver tanta gente que eu amo juntos!
E muito feliz também, e àqueles que nao puderam comparecer mas estao me mandando felicitações por email, recado e ligações , fica meu muito obrigada pela lembrança !
Hoje sou feliz especialmente por saber que tenho pessoas maravilhosas na minha vida e continuam fazendo questão de minha presença.
Meu mais sincero abraço a todos meu amigos!
Thanks god! Aloha!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Eu gosto...

A bolsa está no chão, ao lado da cama. A calça jeans que eu usei hoje e que provavelmente vou usar amanhã pra não sujar outra calça limpa e depois ter que lavar duas, está jogada nos pés da cama. Não esta dobrada. Nunca está ?
Então eu coloco o cd do The cure e fico olhando em volta, pensando nos pequenos prazeres que eu tenho na vida e na organização quase bagunçada da minha vida.
No armário tem caixas com muitas fotos, tantas que não tem espaço pra nenhuma outra.
A cama está forrada com o
edredom que vou usar pra me cobrir de noite. Sim, faz frio no RS de vez em quando, e por gostar tanto de calor , qualquer friozinho já me derruba.
Tem provas de um passado esquecido, agendas antigas, contas e
faturas já pagas, umas telas que um amigo pintou durante o colegial e que eu nunca coloquei em molduras, apesar de achar que valeria muito a pena.
Você não acha que eu sou louca, apesar de todas as provas que eu te dou de não ser muito normal. Talvez você até pense que pode ser complicado lidar com uma pessoa tão sistemática, mas você não se preocupa com essas manias de organização que eu tenho

Eu reparo nos livros que as pessoas tem, no que elas lêem, na maneira como elas os arrumam em casa. 
Eu tenho escrito muito. Escrito coisas que eu não sei se vou publicar neste blog.
Eu escrevo nesse blog por metáforas, principalmente quando falo sobre meus sentimentos, sobre meu jeito, minha vida... Escrevo sempre por metáforas. Fico pensando se as pessoas que lêem acham graça dos meus complexos de
Peter Pan, das minhas idéias, meus pequenos dramas e dos meus recados nas entrelinhas.
Eu não te disse esses dias que eu acho que só sei escrever bem quando falo por metáforas?
E eu fico rindo quando as pessoas lêem os
posts e não entendem lhufas. Geralmente sou eu que não entendo o que as pessoas querem dizer com determinados textos, com determinados contos,, com certas histórias e fico quebrando a cabeça pra encontrar a alguma lógica.
Eu tenho essa mania de tentar entender o que se passa na cabeça dos outros. Não reparou o que eu faço com você? Fico te rodeando com perguntas aleatórias e montando um quebra cabeças pra entender o que você quis dizer, o que andou pensando, como reagiria...
Eu fico pensando na
bagunça da minha vida, na quase bagunça da minha casa e fico querendo desvendar o que as pessoas pensam de mim.
Não que eu queira saber a opinião de todo mundo, de pessoas que mal me conhecem, mas de algumas eu gostaria de saber.
Não das pessoas que não sabem o que pensam das outras, nem das que ficariam indecisas, muito menos das que gostam de julgar nossos pequenos defeitos como graves falhas de
caráter.
Algumas pessoas me intrigam, instigam minha imaginação e eu fico pensando se seria legal ter o poder de ler suas mentes. Depois desisto da
idéia, porque sei que eu ficaria neurótica, querendo ler pensamentos, descobrir segredos e poderia acabar descobrindo coisas que as pessoas pensam sobre mim que eu não gostaria de saber.
E se eu descobrisse que você pensa que eu sou louca?
Na verdade eu não gostaria de ler sua mente não. Eu gosto que você seja a incógnita que é.
Eu gosto de ser uma quase incógnita.

Acredito que atinjo várias pessoas enquanto elas pensam que eu escrevo para alguém específico, quando na verdade estou conversando com a minha imaginação. Talvez eu ainda acredite em algumas outras coisas, mas é tudo muito pouco e superficial. Depois de Deus, o resto é fútil.
Eu poderia vender minha imagem ao invés das minhas idéias. Minhas idéias nunca me levaram às editoras nem às listas dos mais vendidos.
Gosto do avesso.
Mas repito, não sou louca não,  nem anoréxica,  to só de brincadeira....


Tenham todos um ótimo final de semana!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Tudo que eu escrevo são indiretas. Cabe a você descobrir quais delas são para você.

Casa do descanso, como dizia nosso Pai

Queridos irmãos
Nossa casa está a venda --- linda, cuidada, grama verdinha e muito amada. Ela é tão maravilhosa que aceitou nosso  tempo de dela sair. Por mim não é somente pelo nosso pai — é pela necessidade de mudar. Morar fora do chão, abrir uma janela para um céu maior, ver outros rostos, outra feira e, principalmente, outro tipo de luz. Ficar, quem sabe, mais perto dos nossos amigos, da nossa família, ver a Lana crescer sem ter que atravessar a cidade e poder andar de bicicleta fora do pátio.

Ela vai sentir falta do espaço para brincar com os cachorros no início, mas logo vai se acostumar, foi assim com todos nós quando deixamos a praia e viemos morar na cidade lembram?
Sei que mudanças, quase nunca são bem vindas  mas no fim é o que todos internamente desejamos.

O que me tranquiliza é que sei que a deixarei sem nostalgia. Acho que não é o caso de nossa mãe.  As pessoas, enfim, não são iguais mas ela me entendeu.
Sinto que essa casa cumpriu seu tempo, dando nós, momentos felizes, festas, churrascos,  amores e bastante tempo para passarmos com nossos amigos que sempre vão onde quer que estejamos.

Lembra mano como fica aquela casa cheia de mulher tomando banho de sol no verão e tu cheio de bondade nos servindo bebidas sem reclamar?
Foram momentos inesquecíveis, porem sinto que devemos plantar nossas raizes em outras terras ainda não conhecidas. Muita felicidade , principalmente nos domingos.
E para mim e o Pai, momentos de extrema alegria, união e crescimento espiritual. 
Aqui a Thielem engravidou e nos deu esse tesouro que é minha afilhada e uma criança muito amada.
Já comecei a ver alguns aptos com espaço e sacada para colocar umas plantinhas....e ter uma terrinha prá cheirar quando chover.
Ao longo da vida fiz poucas mudanças, mas aprendi que é importante saber a hora de mudar.
Conto com a compreensão de vocês, afinal, a casa foi e ainda é de todos nós.
Mana.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Vem comigo e engole a saliva

Quando eu chego em casa nada me consola
Você está sempre aflita
Lágrimas nos olhos, de cortar cebola
Você é tão bonita
Você traz a coca-cola eu tomo
Você bota a mesa, eu como, eu como
Eu como, eu como, eu como
Você não está entendendo
Quase nada do que eu digo
Eu quero ir-me embora
Eu quero é dar o fora
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo
Eu me sento, eu fumo, eu como, eu não aguento
Você está tão curtida
Eu quero tocar fogo neste apartamento
Você não acredita
Traz meu café com suita eu tomo
Bota a sobremesa eu como, eu como
Eu como, eu como, eu como

Você tem que saber que eu quero correr mundo
Correr perigo
Eu quero é ir-me embora
Eu quero dar o fora
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo



Boa semana minha gente, é mais ou menos isso aí, com duas pedras de gelo por favor!

Alguém assim...

Alguém que tenha os olhos absolutamente expressivos, que me façam arrepiar até a alma, por poder sentir intensamente cada segundo, através deles. Que tenha a voz mansa e, ao mesmo tempo firme, que me proporcione, por meio das palavras, confiança e conforto, sempre. Alguém que me beije, mesmo quando eu não esperar, ou até mesmo quando estiver irritada, depois de uma discussão. Alguém que me surpreenda, de alguma forma. Faça surpresas, ou passe dias sem dizer que me ama e, assim que esses dias terminarem, diga o quanto foi árdua a tarefa de tentar controlar seu amor por mim. Que me abrace sempre, mais vezes até do que diga bom dia, ou pergunte como estou.
Alguém que não queira ouvir explicações, detalhes ou algo que eu não esteja interessada em dizer. Que queira ouvir que eu o ame e que eu morro de saudade, mesmo depois do rápido décimo minuto longe.
Alguém que me faça sonhar com um futuro próximo, nosso. Mesmo quando estivermos falando do nosso passado, quando ainda não nos conhecíamos.

Alguém que não precise de mais que uma caixa de fósforo, uma latinha e um assovio para uma boa cantoria.
Alguém que me faça suspirar enquanto estiver admirando-o nos seus afazeres mais rotineiros e sem propósitos. Que me observe, também, assim, nas ações mais naturais e, com aqueles mesmos olhos, me faça sentir cúmplice, tendo certeza de que tudo sempre vale a pena, quando estamos juntos.

Alguém que acredite em Deus,  mesmo que não seja no meu Deus, mas que tenha fé, integridade e livre de preconceitos.
Um alguém de perfume marcante, um perfume que fique no travesseiro, só pra eu sentir e lembrar de cada momento nosso. Que me faça rir de qualquer besteira, qualquer piada sem graça. Que me faça chorar de rir, e de emoção também. Me proporcione felicidade a mesma medida do amor que eu sentir por ele.
Alguém que faça meu coração bater no primeiro, no segundo e até no nosso último encontro. Que me faça carinho e aceite o fato de que prefiro olhar a dizer qualquer coisa.
Alguém que permaneça por muito, muito tempo em minha vida. E, mesmo se um dia não estivermos mais juntos, só me deixe boas recordações e momentos felizes pra guardar no coração.
Alguém assim, dos meus sonhos...


quarta-feira, 7 de abril de 2010

Mas ontem eu recebi um Telegrama

Eu estou num período de mudanças na vida.
Mudanças sobre as quais eu não quero falar agora, mas que logo ficarão claras.
E nesse turbilhão de acontecimentos que se tornou esse processo, comecei a ter percepções que me faltaram em muitos outros momentos da vida..

E esse é o meu momento.
Estou comigo.
E me sinto completa.
Observo dia após dia meus progressos e fico orgulhosa de, mesmo depois de ter escolhido caminhos tortuosos, saber onde quero chegar e ter toda disposição do mundo para lutar por esses objetivos.
E é bom saber que cada passo é dado somente com meus pés.
Então estou feliz.
Porque parei de esperar o impossivel, o prometido, o talvez... Há anos que venho buscando ser somente EU. Completa. Se vier algo é puro e simples lucro.

E amanhã eu vou no show da Martnalia outra vez...
" Minha pedra preciosa, meu atalho meu destino..."

Eu estou feliz e isso me basta. Aloha!
Ocorreu um erro neste gadget